Robson Cabugi

EM ARARAQUARA/SP, Prefeito Marcão conhece tecnologia que transforma lixo em óleo diesel

Acompanhado do Deputado Federal Benes Leocádio, o Prefeito Marcão esteve em uma comitiva que também contou com o secretário estadual de agricultura, Guilherme Saldanha, o diretor do Idema Leonlene Aguiar, prefeitos Babá Pereira, de São Tomé, e Clécio Azevedo de Bom Jesus, além do secretário de Desenvolvimento Econômico de São Gonçalo do Amarante, Vagner Araújo onde estiveram esta semana na cidade Araraquara, estado de São Paulo, para conhecer o funcionamento de equipamento que usa tecnologia de pirólise para transformar lixo em óleo combustível entre outros subprodutos.

A comitiva viajou a convite da empresa CASE Consultoria, franqueada para o RN da Biogeoenergy, esta última desenvolveu a tecnologia em parceria com instituições universitárias e de pesquisa e pretende aplicá-la nos municípios em todo o país sem custo adicional para as prefeituras além do que já é gasto com a destinação final do lixo.

O grupo coordenado por Henderson Abreu, diretor da CASE, participou de programação com palestras de especialistas e visita in loco para acompanhar o funcionamento do equipamento de pirólise, o que impressionou prefeitos e técnicos de vários estados que também acompanharam a visita.

Um dos palestrantes, Paulo Celso dos Reis, professor da universidade de Brasília e ex-dirigente da empresa de limpeza pública do Distrito Federal, destacou que em matéria de tratamento de resíduos sólidos, o Brasil ainda está no século passado. ”Os países desenvolvidos como Austrália e Alemanha já deixaram de enterrar lixo, praticamente eliminando a solução dos aterros sanitários, há muito tempo. Metade do lixo desses países é reciclada e a outra metade, transformada em energia” disse. Reis apresentou dados que mostra que, no Brasil, apenas 2% do lixo tem destinação considerada ideal, como a reciclagem. O restante (98%) vai para aterros ou, pior, são deixados ao relento.

A Lei federal nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)obriga a todos os municípios a darem destino e tratamento adequado ao lixo, algo de difícil execução para as prefeituras devido aos custos elevados e as dificuldades operacionais devido a fatores culturais da população. ”Acho que estamos assistindo aqui o nascedouro de uma solução arrojada que pode mudar o rumo dessa história. Uma solução que se paga. Que é viável ambiental, social e economicamente” ressaltou o deputado Benes.

Maiores detalhes sobre a solução de pirólise para tratamento de resíduos sólidos da Biogeoenergy podem ser encontrados no site www.Biogeoenergy.com.br



Deixe seu comentário

%%%%%%%%%%%%%%%%%%