Robson Cabugi

SOBRE O APOIO FINANCEIRO EMERGENCIAL A ESTADOS E MUNICÍPIOS

A Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN) e a Confederação Nacional de Municípios (CNM), os prefeitos e as prefeitas de nosso estado reconhecem o esforço do Congresso Nacional, liderado pelos presidentes da Câmara e do Senado, que possibilitaram a apreciação e a votação célere do PLP 39/2020 que estabelece o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, alcançando – dentre outras medidas – o imprescindível apoio financeiro emergencial a Estados e Municípios, que também foi oferecido ao Mundo Empresarial e à todo o povo Brasileiro – seja de programas sociais ou autônomos, e que, ainda, aguarda a sanção do Presidente da República, para só depois de publicado no Diário Oficial da União (DOU) a primeira parcela ser repassada a cada Município.

Faz-se fundamental, neste momento, esclarecer a toda população brasileira que a proposta aprovada “recompõe” apenas parte das perdas que os Municípios estão sofrendo com a queda na arrecadação de tributos em decorrência da pandemia da Covid-19.

Este apoio financeiro que chegará aos cofres municipais, serão fundamentais para que os gestores possam manter, minimamente, suas estruturas administrativas e a prestação de serviços a sua população, pois o valor de R$ 350.287.263,17, dividido em quatro vezes, será importante, mas muito menos que a perda efetiva de arrecadação que sofreremos neste momento da pandemia.

Os orçamentos públicos deste ano foram feitos através de estimativas realizadas em tempo de normalidade, ou seja, previmos nossas receitas e despesas para fazer frente aos investimentos e a manutenção de nossas cidades, e que agora está completamente diferente em virtude da pandemia, por isso é imprescindivel este auxilio por parte do Governo Federal.

Mas para se ter uma noção de nossa perda de arrecadação, segundo cálculos da equipe econômica da CNM e da FEMURN as estimativas são as seguintes para este ano:

Na quota-parte do ICMS será de R$ 188.444.191,93;

No ISS será de R$ 155.848.979,29;

No IPTU/ITBI será de R$ 64.819.804,81;

No FUNDEB será de R$ 236.238.304,62;

E no FPM será de R$ 150.249.639,85;

Somando isso poderemos perder R$ 795.600.920,49.

Como pode ser visto receberemos R$ 350.287.263,17 e temos a estimativa de ter uma queda de R$ 795.600.920,49. Assim sendo, o valor que receberemos é muito menor do que havíamos estimado arrecadar para este ano. Portanto, queremos esclarecer a população que faremos de todo o possível para atender a todos(as) em nossos municípios neste momento de extrema crise.

Natal, 20 de maio de 2020.

JOSÉ LEONARDO CASSIMIRO DE ARAÚJO

Presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte



Deixe seu comentário

%%%%%%%%%%%%%%%%%%