Robson Cabugi

Lula convoca o povo do semiárido para ir às ruas

lula-1-1Principal convidado do ato “Semiárido contra o golpe, sem nenhum direito a menos” promovido em Petrolina, no sertão, pela Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA) e a Frente Brasil Popular, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva registrou em sua fala, na noite de ontem, a importância da região para o país. Lula contou do susto que levou quando numa reunião com o bispo de Afogados da Ingazeira, no sertão do Pajeú pernambucano, ouviu dos técnicos da ASA que tinha em sua pauta a construção de 1 milhão de cisternas na região seca que faz parte de quase todo o Nordeste e uma parte de Minas Gerais.

“Mas 1 milhão?”, questionou Lula na época. Ele disse que para ser possível se alcançar esse número, tinha que ter o apoio do Estado. “E foi assim que chegamos hoje a mais de 1 milhão 200 mil cisternas para que o homem e a mulher do semiárido nordestino pudesse ter água para plantar o desenvolvimento e promover o crescimento local. Não vamos permitir que tirem direitos conquistados com muita luta como esse”, enfatizou.

O ex-presidente conseguiu reunir cerca de 20 mil pessoas no ato em defesa da democracia e frisou que essa luta é sem parar. “Tiraram a presidente Dilma, que não cometeu crime nenhum, e colocaram no governo pessoas investigadas e que já sabemos como governam, sem olhar os mais pobres”.



Deixe seu comentário

%%%%%%%%%%%%%%%%%%